ERP ou sistema de planejamento, qual implementar primeiro?

Executivos da cadeia de suprimentos enfrentam o problema do "ovo ou a galinha" na escolha do sistema que deve ser implantado primeiro: um sistema integrado de ERP ou uma ferramenta de otimização de cadeia.

Em seu blog, postado no início do ano, meu colega Dave Brown discutiu esta questão. Os sistemas ERP e as plataformas corporativas são importantes, apesar de não serem as ferramentas especificamente adequadas para o planejamento e otimização de processos de produção, nem para a cadeia de suprimentos das indústrias de desmontagem, como a de carnes e laticínios.

O ERP (sistema integrado de gestão empresarial) é um elemento fundamental na infraestrutura da sua empresa. Ele realiza tarefas estáveis e não-voláteis, como: finanças, gestão de contratos do ciclo do numerário e armazenamento dos dados principais. Apesar de reunir todas essas funcionalidades, o ERP não foi criado para fazer tudo bem feito, e ainda controlar o tipo de flutuação e volatilidade que ocorre na cadeia global de suprimentos alimentares. Se a sua empresa precisa de um software para ajudar no gerenciamento de questões específicas, que envolvem complexidade e volatilidade, é bom dar uma olhada em outros sistemas.

Se os sistemas ERP não dão conta de todas as operações que a sua empresa precisa, você terá que escolher qual sistema deverá implementar primeiro - e com isso, voltamos ao título deste blog. Partimos do pressuposto que, é de conhecimento geral que o sistema de otimização não pode ser instalado enquanto a implementação de um ERP plurianual estiver pela metade, ou a ponto de iniciar. Além disso, você já deve estar conformado com o fato de que a solução ERP não poderá realizar tudo aquilo que você espera, neste espaço de planejamento. Eu posso garantir que é possível realizar uma implementação bem sucedida em tandem. Meu colega Simon discutiu esta questão no seu blog.

Os sistemas ERP são ótimos para as áreas em que os processos e dados são estáveis e padronizados na maior parte da empresa. Os provedores de ERP criaram verificadores e controles apropriados, que administram os riscos e oferecem um bom atendimento em torno desses processos. O problema, é que eles vendem as suas plataformas para diversas indústrias; de bancos à produção de alimentos, mineração e indústria de manufatura. Isso resulta em ações que afetam o desempenho, já que eles oferecem o mesmo produto para todas as indústrias. Além disso, se você não quiser adaptar o produto ao molde do ERP já instalado, terá que customizá-lo, o que pode gerar custos inesperados. Neste caso, a implementação em tandem com um software de otimização e previsão seria a melhor opção; assim como priorizar a implementação do sistema de otimização, planejamento e previsão.

Os sistemas ERP são ótimos para processos padronizados. Entretanto, como já discutido na analogia do Dave, eles nem sempre correspondem ao esperado. Pense nos desafios em termos de sistemas ERP versus sistemas de diferenciação (ferramentas de otimização, ferramentas para previsão, etc.). Eles não competem um contra o outro, mas se complementam! E é justamente isso que ajuda as empresas a desenvolverem suas estratégias específicas.

Na empresa em que trabalhei anteriormente, nós não usávamos o sistema ERP no solucionamento de problemas centrais de planejamento e otimização. Nós optamos por uma solução de otimização e planejamento específica, capaz de solucionar um problema complexo de mix de produtos, no qual havia uma seleção de produtos interligados, uma complexa rede de indústrias e diferentes propensões de pagamento dos clientes. O nosso provedor ERP não tinha condições de lidar com isso.

Voltamos à questão de quem veio primeiro, "o ovo ou a galinha". Alguns fatores que você deve considerar antes de escolher entre um ERP ou um sistema de otimização e previsão:

Projetos de ERP são intensos e podem levar até 2-3 anos para ficarem prontos (melhor cenário de caso). Isto quer dizer que, o cliente só irá enxergar os benefícios do sistema ERP a longo prazo. Nós podemos entregar um projeto em menos de 6 meses, dependendo da complexidade. Ou seja, em um espaço de tempo mais curto.

Um projeto de otimização, planejamento e previsão, exige menos gastos e causa menos transtornos nos seus negócios, do que a implementação de um ERP.

Alguns de nossos clientes obtiveram rendimentos acima de 1-5% (valores bastante significativos para empresas multi-milionárias e multi-bilionárias da cadeia de suprimentos alimentares) e recuperaram seus investimentos num espaço de 3-12 meses.

A nossa arquitetura de ingestão de dados abertos, permite extrair o código nativo dos sistemas existentes e iniciar o trabalho imediatamente. Depois, basta alterar para receber os dados do sistema ERP, e devolvê-los à medida em que a ferramenta ERP é colocada online.

Realizar a otimização da cadeia suprimentos primeiro, irá reduzir significantemente os custos de implementação do sistema ERP. Isso pode ser feito ao reduzir o escopo de compra do ERP, que é mais caro e difícil de implementar. Também permite uma implementação mais focada e direcionada do ERP, além de ser mais barata e rápida e com menos perturbações que afetam os negócios.

Eu já citei inúmeras vantagens da implementação em tandem. Outra vantagem bastante significativa de realizar a otimização da cadeia de suprimentos em tandem com a implementação do ERP, é que o sistema ERP pode se beneficiar das vantagens do sistema de planejamento e otimização.

Eu sugiro que ao invés de implementar um sistema ERP, você avalie detalhadamente se é melhor realizar o seu planejamento, previsão e plataforma de otimização primeiro, ou em tandem com o seu sistema ERP.

Eu posso te ajudar a superar este desafio - Entre em contato para agendar uma consulta!